Avançar para o conteúdo principal
Vacheron Constantin - 265 ANOS DE HISTÓRIA - Header

265 ANOS DE HISTÓRIA

Desde 1755, a relojoaria se define pela busca pela excelência absoluta. Mas sobretudo, além deste grande passado, ainda há muitas histórias a serem descobertas e reveladas.

  • 17

  • 18

  • 19

  • 20

17

1755

O PRIMEIRO GRANDE MOMENTO

Jean-Marc Vacheron é um jovem mestre relojoeiro de 24 anos quando inicia seu próprio negócio. Ao contratar seu primeiro aprendiz, ele demonstra seu desejo de transmitir suas habilidades. Este contrato de aprendizagem marca o nascimento da mais antiga manufatura de relógios do mundo, cuja atividade continua até hoje.

O PRIMEIRO RELÓGIO ASSINADO
JEAN-MARC VACHERON

Orgulho do patrimônio Vacheron Constantin, a peça em prata assinada “J.M. Vacheron à Genève” no movimento é o único relógio conhecido que identifica o fundador da Maison pelo primeiro nome.
Dotado de um escapamento com roda dentada, esse relógio é ornado com ponteiros em ouro finamente talhados. Um “coq” delicadamente trabalhado, acima da peça mais visível do movimento, comprova também o perfeito domínio de um savoir-faire. Essa dupla exigência técnica e estética irá forjar progressivamente a identidade da Vacheron Constantin.

1785

O SUCESSOR: ABRAHAM VACHERON

Em 1785, o filho de Jean-Marc Vacheron, Abraham (1760-1843), assume a direção dos ateliês. Ele consegue manter a empresa em atividade, apesar das dificuldades provocadas pela Revolução Francesa e da ocupação de Genebra pelas tropas do Diretório francês.
Seguindo a tradição familiar, ele ensina a profissão de relojoeiro ao seu filho, Jacques-Barthélemy Vacheron.

18

1810

A NOVA ERA
DO NETO DE
JEAN-MARC VACHERON

O neto de Jean-Marc Vacheron, Jacques-Barthélemy Vacheron (1787-1864), assume a direção dos negócios da família.
A Manufatura começa a elaborar modelos com grandes complicações, principalmente relógios com campainha equipados com duas sonneries diferentes. Jacques-Barthélemy Vacheron supervisiona as primeiras exportações de seus produtos para a França e Itália.

1812

AS PRIMÍCIAS DA EXCELÊNCIA RELOJOEIRA

Em relojoaria, uma complicação é qualquer outra função que não seja a exibição das horas e minutos. Dotado de um mostrador esmaltado, este relógio com repetidor de quartos de hora ostenta um fundo de caixa guilhochê e gravado. Este modelo da coleção Vacheron Constantin ilustra as primícias da excelência relojoeira da Maison.

1819

O ENCONTRO COM FRANÇOIS CONSTANTIN

A parceria entre Jacques-Barthélemy Vacheron (1787-1864), neto do fundador da Manufatura, e François Constantin (1788-1854), empresário experiente, dá à empresa um novo nome: Vacheron et Constantin.

O NASCIMENTO DE UM LEMA

Os dois genebrinos compartilhavam um interesse comum por relógios com complicações sofisticadas. Empreendedor inteligente, François Constantin abre vários novos mercados durante seus trinta anos de viagens de negócios. Em 5 de julho de 1819, em Turim, François Constantin escreve ao seu novo sócio, Jacques-Barthélemy Vacheron. A carta contém a frase que se tornaria o lema da empresa: “Fazer melhor se for possível, e sempre é possível. ”

1824

O INÍCIO DA ARTE RELOJOEIRA

Este relógio de bolso em ouro amarelo é sutilmente decorado com um mapa da Itália, gravado e esmaltado com a técnica do champlevé. Seu mostrador em prata inteiramente guilhochê é ornado com 12 algarismos romanos esmaltados e exibidos na volta das horas. O mostrador dos pequenos segundos também é trabalhado em guilhochê com um motivo quadriculado moderno e surpreendente. A atenção consagrada aos detalhes e a perfeição da execução são típicas da tradição decorativa de Genebra.

1839

O PANTÓGRAFO: UMA RENOVAÇÃO TÉCNICA

Em 1844, a Société des Arts concedeu a medalha de ouro do Concours de la Rive a MM. Vacheron e Constantin e G.-A. Leschot pela “descoberta mais útil à indústria genebrina”.

1869

A REVOLUÇÃO DO CRONÔMETRO DE BOLSO

A história da relojoaria é também a da busca pela precisão máxima.
Seu destino evolui a cada nova reviravolta no mundo e na sociedade. Por exemplo: os cronômetros marinhos marcaram o início da relojoaria científica, impulsionada pelo progresso técnico que beneficiou todos os relógios da época.
Entre eles, está este cronômetro de bolso dotado de uma caixa em ouro amarelo e um mostrador em esmalte branco. Este modelo é regulado por um escapamento de detenção ultrapreciso utilizado em um cronômetro marinho.
A proliferação de concursos de cronometria em diversos países europeus durante o século XIX incentivou os relojoeiros a melhorar seu desempenho em vista de obter prêmios de prestígio.
A Vacheron Constantin apresenta seus relógios nos primeiros concursos de cronometria do célebre Observatório de Genebra, conquistando distinções que inaugurarão um século de recordes.

1880

A ADOÇÃO DO LOGOTIPO DA CRUZ DE MALTA

O símbolo da cruz de Malta da Vacheron Constantin está registrado no Instituto Federal de Propriedade Intelectual em Berna. Escolhida para ilustrar a busca da empresa pela precisão, a cruz evoca o design de um antigo componente de movimento fixado à tampa do barrilete para garantir uma força mais constante da mola e, assim, obter uma melhor cadência.

1889

O PRIMEIRO RELÓGIO DE PULSO FEMININO

Este relógio feminino é um dos primeiros relógios de pulso produzidos em série.
Seu advento causou rebuliço, pois até o início do século XX, o relógio de bolso não tinha concorrentes.
Alojado em uma caixa delicadamente gravada e finamente trabalhada, este modelo com mostrador engastado com diamantes é montado sobre uma deslumbrante pulseira, decorada com duas deusas aladas. Para evitar que a coroa destoasse do design equilibrado, a empresa desenvolveu um engenhoso dispositivo que permite regular a hora girando a luneta.

O RELÓGIO DE BOLSO EM ESMALTE CLOISONNÉ

Na Exposição Universal de 1906, em Milão, a Vacheron Constantin apresenta uma coleção de relógios de tal elegância que o júri lhe concede o Grande Prêmio da exposição.
A coleção de Milão incluía este relógio de bolso em ouro amarelo. A parte posterior da peça conta com um magnífico motivo de cardos em esmalte cloisonné, e o mostrador prateado bicolor exibe no centro um trabalho em guilhochê minuciosamente feito à mão.
Este relógio ilustra perfeitamente as peças de joalheria que a Vacheron Constantin projetava na época. Seus elementos decorativos representam a quintessência do requinte da tradição genebrina.

19

1906

AS PORTAS DA PRIMEIRA BOUTIQUE SE ABREM

No início do século XX, a Vacheron Constantin recebia encomendas da rainha Maria da Romênia, dos irmãos Henry e William James e do príncipe Napoleão, neto de Jérôme Bonaparte.
A fim de expor seus relógios de luxo em um ambiente apropriado, a Vacheron Constantin inaugura sua primeira boutique no dia 1° de agosto de 1906, no térreo do prédio da Île. Antes da abertura desses locais, os clientes eram recebidos nos salões dos andares superiores.

1907

O CRONÔMETRO DE BOLSO ROYAL

Em 1907, a Maison lança seu primeiro cronômetro Royal e registra a denominação do modelo. Tal cronômetro de bolso distingue-se incontestavelmente dos relógios produzidos à época, tornando-se rapidamente um sucesso internacional; sua robustez, confiabilidade e precisão lendárias foram muito apreciadas por todos aqueles que viviam em climas considerados até hoje como desfavoráveis ao bom funcionamento de um relógio.

1916

O RELÓGIO DE
UM MONARCA:
O MARAJÁ
DE PATIALA

Ao longo dos anos de 1914 e 1915, a Maison criou um pequeno movimento oblongo chamado “tuyau”. Ancestral do movimento “baguette”, este calibre de 26 mm de comprimento e 6,5 mm de espessura foi utilizado numa versão curva para equipar um relógio de pulso verdadeiramente surpreendente. Composto de ouro, platina e diamantes, o relógio se distingue pela engenhosa execução de sua caixa vazada, talhada e gravada. Essa peça, provavelmente única, foi adquirida por Sir Bhupinder Singh, Marajá de Patiala.

1918

O COMPLEXO MECANISMO DO RELÓGIO PACKARD

Por trás de sua aparente simplicidade, este relógio de bolso esconde um mecanismo excepcionalmente complexo. Criado para James Ward Packard, o famoso fabricante de automóveis e grande colecionador norte-americano, essa peça reúne uma combinação de complicações particularmente única: cronógrafo com contador de 30 minutos, petite sonnerie e grande sonnerie, além de repetidor de quartos e meio-quartos de hora. Entre outras características, podemos citar um balanço de compensação Guillaume, um vidro de cristal de rocha e uma caixa talhada em ouro 20 quilates personalizada com o monograma do proprietário em esmalte azul champlevé.

1921

UM ESPÍRITO CRIATIVO PARA CONQUISTAR O MERCADO NORTE-AMERICANO

O formato almofada é parte integrante das coleções Vacheron Constantin desde o final dos anos 1910. Nos anos 1920, relógios de bolso ainda eram extremamente populares. Naquela época, esse tipo de relógio de pulso, muito valorizado pela clientela norte-americana, era sinônimo de modernidade. A posição da coroa à 1 hora é a particularidade desse modelo. Durante um curto período de 10 anos, ele foi produzido para canhotos e destros. Os primeiros movimentos de relógios de pulso foram inspirados nos relógios-pingentes. Referenciados sob o calibre 11’’’ ART, levavam os acabamentos de relógios de bolso clássicos, como as pontes e as platinas douradas. Dentre esses calibres, aqueles destinados ao mercado norte-americano, conhecido por sua exigência, contavam com um acabamento especial. Dotados de um rubi adicional, eles receberam os nomes de calibre 11’’’62 e 11’’’78. Suas pontes e platinas também eram fabricadas em maillechort, liga de prata com cobre, níquel e zinco, naturalmente protegida contra a corrosão.

1929

O RELÓGIO DE BOLSO COM GRANDES COMPLICAÇÕES

Em 1929, os suíços residentes no Egito ofereceram este relógio ao rei Fouad I.
Esta obra-prima da relojoaria compreende um cronógrafo, um calendário perpétuo e um repetidor de minutos, além de petite e grande sonnerie.
As armas reais em esmalte ornam o fundo da caixa. O relógio de bolso em ouro amarelo exibe um mostrador prateado com 10 algarismos árabes pretos, uma janela para os dias e as datas às 12 horas, outro mostrador para os meses e os anos às 9 horas, um contador de 30 minutos às 3 horas, além de exibir as fases e idade da lua com os pequenos segundos às 6 horas.

1932

O PRIMEIRO RELÓGIO DE HEURE UNIVERSELLE COM 31 FUSOS HORÁRIOS

Em 1932, a colaboração da Vacheron Constantin com M. Louis Cottier resultou na criação do primeiríssimo relógio com “sistema Cottier”, o Heure Universelle, ref. 3372. Seu movimento mecânico exclusivo trazia 24 fusos horários graças a um disco que girava em torno do mostrador central e de uma luneta exterior sobre a qual havia inscritos os nomes de 31 grandes cidades do mundo. Uma nova complicação que respondeu perfeitamente à evolução dos meios de comunicação e transporte. Ainda presente nas coleções atuais da Maison, essa complicação passou por diversas evoluções, frequentemente ligadas às atualidades geopolíticas dos países.

1946

A OBRA-PRIMA REAL CRIADA PARA O REI FAROUK

A Vacheron Constantin criou um de seus relógios mais complicados para o Rei Farouk, que herdara de seu ilustre pai, o Rei Fouad do Egito, a mesma paixão pela Alta Relojoaria. Foram precisos ao menos cinco anos para concretizar essa obra-prima, que reúne 14 complicações. Este notável relógio de duas engrenagens foi feito em ouro amarelo 18 quilates. Ele possui um repetidor de minutos de carrilhão, com grande e petite sonnerie, equipado com três timbres e três martelos, um cronógrafo flyback e contador de 30 minutos, um calendário perpétuo, indicação de fases e idade da lua, um despertador e dois indicadores de reserva de marcha. 

1954

O ÍCONE,
O OSCAR,
O RELÓGIO

Este relógio de referência 4877, com mostrador trabalhado manualmente em guilhochê, foi oferecido ao célebre ator norte-americano Marlon Brando por Zsa Zsa Gabor no dia 24 de junho de 1954, para parabenizá-lo pelo Oscar de melhor ator. Hoje, esse relógio exclusivo, gravado com a dedicatória de Zsa Zsa Gabor na parte detrás, faz parte da coleção particular Héritage da Maison Vacheron Constantin.

1955

O RELÓGIO
DE PULSO
ULTRAFINO

Por ocasião do seu bicentenário, a Vacheron Constantin demonstrou o seu desejo de criar os mais elegantes dos relógios.
A Maison criou o movimento de corda manual mais fino do mundo. Dotado de 1,64 mm de espessura, ele é tão fino quanto uma moeda de 20 centavos de franco suíço. Estampado com o Selo de Genebra, o calibre 1003 abriga um movimento ultrafino emblemático.

O CRONÓGRAFO DE PULSO COM ESCALA TAQUIMÉTRICA

As elegantes alças em forma de chifre de vaca embelezam a caixa em ouro amarelo antimagnética e estanque, que abriga um movimento cronógrafo com roda de coluna, com um contador exibindo o tempo decorrido. Uma caixa em ferro doce protege o movimento dos campos magnéticos. O mostrador exibe um contador de 30 minutos às 3 horas e os pequenos segundos às 9 horas. O design elaborado desse relógio fez dele um dos cronógrafos mais bonitos de sua época.

1956

A REFERÊNCIA 6073

Com um mostrador clássico, uma caixa audaciosa e componentes técnicos vanguardistas, o modelo 6073 é prova da criatividade da Maison e da sofisticação relojoeira dos anos 1950.
Ainda hoje é uma peça excepcional em vários sentidos. Este relógio redondo, fino e elegante está equipado com uma caixa exclusiva ornada com hastes, cada uma representando uma parte da cruz de Malta.

1957

O ESTILO CLÁSSICO DA VACHERON CONSTANTIN

Concebido nos anos 1950, quando a elegância volta a estar na moda, este relógio tradicional redondo e ultrafino representa o estilo clássico da Vacheron Constantin, oferecendo uma excelente confiabilidade. A ausência de decoração externa e a perfeição do design são suficientes, fazendo com que cada detalhe contribua para sublinhar a pureza das linhas e o esplendor de uma criação atemporal.
Em 2004, a coleção Patrimony homenageia este estilo emblemático revisitando o visual clássico do modelo.

1972

O DIPLÔME DU PRESTIGE DE LA FRANCE

Em junho de 1972, o governo francês atribuiu à Vacheron Constantin o raro e cobiçado “Diplôme du Prestige de la France”.
A Vacheron Constantin propôs um novo relógio de pulso com design inédito, dotado de uma caixa com curvas assimétricas e um movimento oval.
A Vacheron Constantin torna-se assim a primeira empresa relojoeira a receber tal honra.

1977

A GRANDE AVENTURA DA REFERÊNCIA 222

Este relógio foi lançado em 1977, por ocasião do aniversário de 222 anos da Maison. Sua caixa monobloco, montada sobre uma pulseira ajustada, traz uma luneta em forma de escotilha circular que lhe confere grande resistência ao desgaste em ambientes hostis. Graças a seu caráter singular, essa peça emblemática tornou-se, ao longo dos últimos 40 anos, um dos modelos Vacheron Constantin mais reconhecíveis, e inspirou a linha de uma coleção igualmente notável, a Overseas.

1979

A FORÇA ESPETACULAR

Esculpido num lingote de ouro de um quilo e engastado com 118 diamantes totalizando 130 quilates, o modelo Kallista – “a mais bela”, em grego – é uma das criações relojoeiras mais deslumbrantes. Foram necessários cinco anos para lapidar e montar aquela centena de diamantes, e mais de 6.000 horas de trabalho para realizar esta obra-prima.

1992

O REPETIDOR DE MINUTOS MAIS FINO DO MUNDO: O CALIBRE 1755

Com seu domínio tradicional dos calibres ultrafinos, a Maison reproduziu um movimento com repetidor de minutos no estilo daqueles dos anos 1940.
Criado em 1992, o calibre 1755 tornou-se o movimento com repetidor de minutos mais fino do mundo, com uma espessura total de apenas 3,28 mm.

1996

A HOMENAGEM AO MERCATOR

Especialidade da Maison, a arte da esmaltagem é frequentemente associada a diferentes modelos, sendo um dos mais célebres dedicado a Mercator (1512-1594).
Esse ilustre matemático e geógrafo flamengo, cujo verdadeiro nome é Gerhard Kremer, foi quem desenhou as primeiras projeções cartográficas planas.
Tema recorrente na Manufatura, a viagem está no centro dessa coleção que homenageia o cartógrafo por ocasião do 400º aniversário de sua morte.
O mostrador reproduz em esmalte os mapas dos hemisférios desenhados pelo próprio Mercator, e os ponteiros retrógrados em forma de compasso foram especialmente concebidos para a ocasião.

O ESPÍRITO DE VIAGEM

O ano de 1996 marcou o nascimento da coleção Overseas, na qual a Vacheron Constantin adota a dimensão técnica e esportiva da Alta Relojoaria.
O design estruturado deste relógio com linhas naturalmente elegantes e sofisticadas remete ao tema contemporâneo da viagem. Sua pureza comprova sua excelência mecânica.

20

2001

A PARTICULARIDADE DO LADY KALLA

Com o relógio de Alta Joalheria Lady Kalla, a Vacheron Constantin recebeu o Aiguille d’Or, o primeiro Grand Prix d’Horlogerie de Genève.

2004

A RENASCENÇA DA PATRIMONY

Perfeição circular e busca pelo essencial, a coleção Patrimony é a encarnação da pureza estilística. Revisitada em 2004, com uma abordagem deliberadamente minimalista e oferecendo um equilíbrio harmonioso entre linhas retas e curvas, ela se caracteriza por caixas finas e elegantes inspiradas nos modelos dos anos 1950.

A INAUGURAÇÃO DA SEDE INTERNACIONAL EM PLAN-LES-OUATES (SUÍÇA)

No dia 9 de agosto de 2004, a Vacheron Constantin mudou-se para sua nova fábrica, localizada em Plan-les-Ouates.
Concebido pelo célebre arquiteto Bernard Tschumi, o edifício contemporâneo apresenta a forma elegante de uma cruz de Malta cortada ao meio. Ele reúne sob o mesmo teto a direção, a administração e os ateliês.

2005

HOMENAGEM AOS 250 ANOS DE EXPERTISE EXCEPCIONAL

Para celebrar seu aniversário de 250 anos, a Vacheron Constantin destaca uma coleção de cinco criações excepcionais em homenagem a todos os ofícios relojoeiros da Maison.
Para este evento singular, a Maison apresentou um relógio misterioso e único, alojado em uma esfera em ouro rosa, gravada à mão, que revela por sua vez um outro relógio de grande complicação, assim como o modelo Tour de l’Île, o relógio mais complicado de todos os tempos.
Este último angariou o grande prêmio Aiguille d’Or durante o Grand Prix d’Horlogerie de Genève.

2007

A MISTERIOSA COLEÇÃO MÉTIERS D’ART LES MASQUES

Em 2007, a Vacheron Constantin lançou a coleção Métiers d'Art Les Masques. Uma longa viagem que leva seus mestres relojoeiros através do tempo e do espaço, em busca das próprias raízes da humanidade e de uma reflexão sobre uma das mais belas expressões da alma humana. Assim, doze máscaras da coleção Barbier-Mueller foram selecionadas para serem talhadas e gravadas em ouro, sendo tais obras em miniatura fixadas com toda sua majestade no centro do mostrador. Essa coleção é o reflexo perfeito da história da Vacheron Constantin e de seu espírito de abertura para o mundo.

2011

A ORIGEM DA TRADIÇÃO RELOJOEIRA SUÍÇA

Para comemorar os 65 anos da colaboração diplomática entre a Suíça e a República Popular da China, a Manufatura Vacheron Constantin foi convidada a participar da exposição “Genebra no coração do tempo - A origem da tradição relojoeira suíça”, que apresentou as 350 peças mais icônicas e exclusivas da coleção particular Vacheron Constantin.

2015

57260, A REFERÊNCIA MÁXIMA: O ANIVERSÁRIO DE 260 ANOS DA MAISON

Revelado em 17 de setembro de 2015, por ocasião do aniversário de 260 anos da Maison, a referência 57260 trata-se do relógio mais complicado já realizado. Resultado de oito anos de trabalho, ele reúne um total de 57 complicações. Encomendada por um colecionador apaixonado, a referência 57260 ilustra mais uma vez o savoir-faire do ateliê Les Cabinotiers, perpetuando assim a tradição de excelência e personalização.
A referência 57260 da Vacheron Constantin recebeu o Prêmio do Júri do Grand Prix d'Horlogerie de Genève.

2017

O CELESTIA ASTRONOMICAL GRAND COMPLICATION

A Vacheron Constantin apresenta o Les Cabinotiers Celestia Astronomical Grand Complication 3600, um relógio excepcionalmente complicado. Seu calibre 3600, movimento mecânico de corda automática, comporta 23 complicações e oferece uma leitura da hora em três tempos, cada um impulsionado por seu próprio trem de engrenagens. Apogeu de elaborada técnica, seu calibre totalmente integrado conta com cerca de 514 componentes reunidos em apenas 8,7 mm de espessura, enquanto seis barriletes lhe garantem uma autonomia de três semanas.
O Les Cabinotiers Celestia Astronomical Grand Complication 3600 da Vacheron Constantin recebeu o Prêmio de relógio de mecânica excepcional pelo Grand Prix d’Horlogerie de Genève.

2018

O LANÇAMENTO DO FIFTYSIX

Fiftysix é um nome e uma data que evocam um modelo emblemático da Vacheron Constantin, datado de 1956. Esta coleção moderna, elegante e descontraída, com um estilo decididamente cosmopolita, distingue-se pelo contraste entre o mostrador clássico e a ousada caixa. Esta última se inspira claramente no emblema da Maison em forma de cruz de Malta, também presente sobre a massa oscilante em ouro rosa vazado.

O ESPÍRITO ÚNICO NO SEU GÊNERO

A assinatura da nova campanha de comunicação da Vacheron Constantin define o universo excepcional que a Maison incorpora há mais de 260 anos. No centro do prestigiado domínio da Alta Relojoaria está uma Maison de conhecedores, profundamente ligada aos valores humanos e enriquecida por um savoir-faire transmitido de geração em geração pelos mestres relojoeiros e artesãos.
“Em um universo já extremamente exclusivo, a Vacheron Constantin está empenhada em conservar um espírito singular e sofisticado. Nesse sentido, nossa Maison é decididamente única no seu gênero.” Louis Ferla.

2020

ÉGÉRIE

Uma nova coleção dedicada às mulheres. O encontro entre Alta Relojoaria e Alta-Costura sob o prisma do artesanato, da precisão, da excelência e da beleza. A nova musa da relojoaria da Maison recebe o nome de Égérie. Esta nova coleção representa a feminilidade relojoeira segundo a Vacheron Constantin. Um relógio que apresenta o clássico estilo “drapeado” com um toque de malícia para homenagear as mulheres da contemporaneidade: inspiradoras, independentes e carismáticas.

Vacheron Constantin - History - ORGANIZAR UMA VISITA À BOUTIQUE

ORGANIZAR UMA VISITA À BOUTIQUE

Seja para descobrir as nossas diversas coleções ou para obter orientações de nossos especialistas, nós respondemos a todas as suas perguntas.

Encontrar uma Boutique