Avançar para o conteúdo principal
Vacheron Constantin - Relógios icônicos: expressões da excepcionalidade da Vacheron Constantin - Header

Relógios icônicos: expressões da excepcionalidade da Vacheron Constantin

Alguns relógios deixam sua marca no tempo e no universo da Alta Relojoaria. Relógios com complicações ou obras artísticas, essas peças são excepcionais e trazem consigo uma assinatura técnica e estética única. De 1755 até hoje, esses relógios construíram inegavelmente a história da Vacheron Constantin.

  • 17

  • 18

  • 19

  • 20

17

1755

O primeiro relógio conhecido de Jean-Marc Vacheron

Orgulho do patrimônio Vacheron Constantin, esta peça em prata assinada “J.M. Vacheron à Genève” no movimento é o único relógio conhecido que identifica o fundador da Maison pelo primeiro nome. Dotado de um escapamento com roda dentada, esse relógio é ornado com “ponteiros dourados finamente talhados”. Um “coq” delicadamente trabalhado, sobre a peça mais visível do movimento, comprova também o perfeito domínio de um savoir-faire. Essa dupla exigência técnica e estética irá progressivamente construir a identidade da Vacheron Constantin.

18

1824

Italie

Este relógio de bolso em ouro amarelo é sutilmente decorado com um mapa da Itália, gravado e esmaltado com a técnica do champlevé. Seu mostrador em prata inteiramente guilhochê é ornado com 12 algarismos romanos esmaltados e exibidos na volta das horas. O mostrador auxiliar dos pequenos segundos também é trabalhado em guilhochê com um motivo quadriculado moderno e surpreendente. A atenção consagrada aos detalhes e a perfeição da execução são típicas da tradição decorativa de Genebra.

19

1907

Cronômetro Royal

Em 1907, a Maison lançou seus primeiros relógios Cronômetro Royal e registrou a denominação desse modelo. Tal cronômetro de bolso distinguia-se incontestavelmente dos relógios produzidos à época, tornando-se rapidamente um sucesso internacional: sua robustez, confiabilidade e precisão lendárias foram muito apreciadas por todos aqueles que viviam em climas considerados até hoje como desfavoráveis ao bom funcionamento de um relógio.

1916

O Marajá de Patiala

Ao longo dos anos de 1914 e 1915, a Maison criou um pequeno movimento oblongo chamado “le tuyau” (o tubo). Ancestral do movimento “baguette”, com 26 mm de comprimento e 6,5 mm de espessura, esse calibre foi utilizado numa versão curva para equipar um relógio-pulseira verdadeiramente surpreendente. Composto de ouro, platina e diamantes, o relógio se distinguia pelo engenhoso feitio de sua caixa vazada, talhada e gravada. Essa peça, provavelmente única, foi adquirida por Sir Bhupinder Singh, Marajá de Patiala.

1918

James Ward Packard

Por trás de sua aparente simplicidade, este relógio de bolso esconde um mecanismo excepcionalmente complexo. Criado para James Ward Packard, o famoso fabricante de automóveis e grande colecionador norte-americano, essa peça reúne uma combinação de complicações particularmente única: cronógrafo com contador de 30 minutos, petite sonnerie e grande sonnerie, além de repetidor de quartos e meios-quartos de hora. Entre outras características, podemos citar um balanço de compensação Guillaume, um vidro de cristal de rocha e uma caixa talhada em ouro 20 quilates personalizada com o monograma do proprietário em esmalte azul champlevé.

1921

American

O formato almofada é parte integrante das coleções Vacheron Constantin desde o final dos anos 1910. Nos anos 1920, relógios de bolso ainda eram extremamente populares. Naquela época, esse tipo de relógio de pulso, muito valorizado pela clientela norte-americana, era sinônimo de modernidade. A posição da coroa à 1 hora é a particularidade desse modelo. Durante um curto período de 10 anos, ele foi produzido para canhotos e destros. Os primeiros movimentos de relógios de pulso foram inspirados nos relógios-pingente. Referenciados sob o calibre 11’’’ ART, levavam os acabamentos de relógios de bolso clássicos, como as pontes e as platinas douradas. Dentre esses calibres, aqueles destinados ao mercado norte-americano, conhecido por sua exigência, contavam com um acabamento especial. Dotados de um rubi adicional, eles receberam os nomes de calibre 11’’’62 e 11’’’78. Suas pontes e platinas também eram fabricadas em maillechort, liga de prata com cobre, níquel e zinco, naturalmente protegida contra a corrosão.

1923

Os Pastores de Arcádia

Este magnífico relógio de bolso é ornado com uma miniatura em esmalte da pintura pastoral de Nicolas Poussin “Et in Arcadia ego”.
A esmaltagem vem assinada à mão por Louise Goll, uma das maiores miniaturistas genebrinas do início do século XX. A tampa, por sua vez, traz uma gravura baseada no quadro “A chegada dos ceifeiros nos pântanos de Pontine”, de Léopold Robert. Vale também notar que um trecho da partitura da Sinfonia Pastoral de Beethoven vem inscrito abaixo dessa gravura. Obra-prima de uma coleção em que o movimento é totalmente gravado à mão, destaca o talento dos artesãos da Maison, demonstrando que os ofícios artesanais são indissociáveis da história da Alta Relojoaria genebrina e da Vacheron Constantin.

1931

Arca

Produzido em 1931 e integrado ao relógio de mesa Arca, esse movimento esqueletizado patenteado de 30 dias possui um escapamento de força constante. A patente n°142508 foi requisitada em 1929 por M. Philippe René Jaccard, renomado relojoeiro, conhecido principalmente por seus trabalhos em cronômetros e calibres de força constante. Naquele mesmo ano, a Vacheron Constantin venceu o Concours de la Rive, organizado pela Société des Arts. Esse prêmio tinha o objetivo de celebrar a aplicação de um sistema de força constante R. Jaccard num relógio de bolso. Um modelo muito semelhante (referência 3354) foi em seguida apresentado na Exposição Nacional de Zurique de 1939.

1932

Heure Universelle

Em 1932, a colaboração da Vacheron Constantin com M. Louis Cottier resultou na criação do primeiríssimo relógio com “sistema Cottier”, o Heure Universelle, ref. 3372. Seu movimento mecânico exclusivo trazia 24 fusos horários com a ajuda de um disco que girava em torno do mostrador central e de uma luneta exterior sobre a qual havia inscritos os nomes de 31 grandes cidades do mundo. Uma nova complicação que respondeu perfeitamente à evolução dos meios de comunicação e transporte. Ainda presente nas coleções atuais da Maison, essa complicação passou por diversas evoluções, frequentemente ligadas às atualidades geopolíticas dos países.

1943

4293

Esse relógio de pulso de alta complicação abriga, numa caixa em ouro rosa de 38 mm de diâmetro, um repetidor de minutos e um calendário triplo com indicação de fases da lua. Tal peça é a aliança perfeita entre o emblemático design Vacheron Constantin dos anos 1940, em especial as hastes em forma de gota, e a elevada técnica relojoeira que se exprime através de um calibre de exceção.

1946

Farouk

A Vacheron Constantin criou um dos relógios mais complicados para o Rei Farouk, que herdara de seu ilustre pai, o Rei Fouad do Egito, a mesma paixão pela Alta Relojoaria. Foram precisos ao menos cinco anos para concretizar essa obra-prima que reúne 14 complicações. Em ouro amarelo 18 quilates, esse é um relógio com sonnerie de duas engrenagens. Possui um repetidor de minutos de carrilhão, com grande e pequena sonnerie, equipado com três timbres e três martelos, um cronógrafo flyback e totalizador de 30 minutos, um calendário perpétuo, indicação de fases e idade da lua, um despertador e dois indicadores de reserva de marcha.

1948

Boisrouvray

Peça excepcional, este relógio de bolso sem chave, com grande caixa savonnette em ouro 18 quilates, é dotado de um balanço Guillaume. Possui um repetidor de minutos de carrilhão com três martelos batendo sobre três timbres, um calendário perpétuo com indicação dos anos bissextos e fases da lua, um cronógrafo flyback, um contador totalizador, além de um despertador. A peça foi vendida ao conde Guy de Boisrouvray em 1948. Até 2015, essa grande complicação era o terceiro relógio mais complicado já realizado pela Vacheron Constantin.

1977

222

Este relógio característico foi lançado em 1977, por ocasião do aniversário de 222 anos da Maison. Sua caixa monobloco, montada sobre uma pulseira ajustada, traz uma luneta em forma de escotilha que lhe confere grande resistência ao desgaste em ambientes hostis. Graças a seu caráter singular, essa peça emblemática tornou-se, ao longo das décadas, um dos modelos Vacheron Constantin mais reconhecíveis. Por isso, a referência 222 inspirou a linha de uma coleção igualmente notável, a Overseas.

1979

Kallista

Esculpido num lingote de ouro de um quilo e engastado com 118 diamantes totalizando 130 quilates, o modelo Kallista – “a mais bela”, em grego – é uma das criações relojoeiras mais deslumbrantes. Foram necessários cinco anos para lapidar e montar a centena de diamantes, e mais de 6.000 horas de trabalho para realizar essa obra-prima.

1994

Mercator

Especialidade da Maison, a arte da esmaltagem é frequentemente associada a diferentes modelos, sendo um dos mais célebres dedicado a Mercator (1512 – 1594). Esse ilustre matemático e geógrafo flamengo, cujo verdadeiro nome é Gerhard Kremer, foi quem desenhou as primeiras projeções cartográficas planas. Tema recorrente na Manufatura, a viagem está no centro dessa coleção que homenageia o cartógrafo por ocasião do 400º aniversário de sua morte. O mostrador reproduz em esmalte os mapas dos hemisférios desenhados pelo próprio Mercator, e os ponteiros retrógrados em forma de compasso foram especialmente concebidos para a ocasião.

20

2005

Tour de l’Île

Peça principal apresentada pela Vacheron Constantin por ocasião de seu aniversário de 250 anos, este relógio reúne todos os superlativos. Com uma combinação inédita de 16 grandes complicações, o Tour de l’île é o relógio de pulso de dupla face mais complicado do mundo produzido em série. 7 exemplares foram produzidos na Manufatura. Ele angariou o grande prêmio Aiguille d’Or durante o Grand Prix d’Horlogerie de Genève.

2007

Métiers d’Art Les Masques

Em 2007, a Vacheron Constantin lançou a coleção Métiers d'Art Les Masques. Uma longa viagem através do tempo e do espaço, até às próprias raízes da humanidade. Assim, doze máscaras da coleção Barbier-Mueller foram selecionadas para serem talhadas e gravadas em ouro, sendo tais obras em miniatura fixadas com toda sua majestade no centro do mostrador. Essa coleção é o reflexo perfeito da história da Vacheron Constantin e de seu espírito de abertura para o mundo.

2009

Philosophia

Uma outra ideia do tempo: eis como podemos definir esse relógio de encomenda especial, que combina Alta Relojoaria e tempo filosófico. Inspirado pela coleção Traditionnelle, ele exibe a hora com um só ponteiro sobre um mostrador de 24 horas. Outras complicações foram exigidas pelo apaixonado cliente que o encomendou: o repetidor de minutos, uma fase da lua, um turbilhão e a indicação de reserva de marcha. Nada menos que 552 componentes integram essa obra-prima relojoeira.

2015

Referência 57260

Revelado em 17 de setembro de 2015, por ocasião do aniversário de 260 anos da Maison, a referência 57260 trata-se do relógio mais complicado já realizado. Foram necessários incríveis 8 anos de trabalho para conceber essa peça fora do comum, dotada, como seu nome indica, de 57 complicações. Encomenda especial de um colecionador apaixonado e conhecedor, a referência 57260 demonstra mais uma vez o savoir-faire do Ateliê Cabinotiers, perpetuando assim a tradição de excelência e personalização. A referência 57260 recebeu o Prêmio do Júri do Grand Prix d'Horlogerie de Genève.

2017

Celestia

Um relógio excepcionalmente complicado: assim se apresenta a peça Les Cabinotiers Celestia Astronomical Grand Complication 3600. Seu calibre 3600, movimento mecânico de corda automática, comporta 23 complicações e oferece uma leitura da hora em três tempos diferentes – civil, solar e sideral – cada um impulsionado por seu próprio trem de engrenagens. Apogeu de elaborada técnica, seu calibre totalmente integrado conta com cerca de 514 componentes reunidos em apenas 8,7 mm de espessura, enquanto seis barriletes lhe garantem uma autonomia de três semanas.

2019

Twin-Beat

Enquanto está sendo usado, o movimento do Traditionnel Twin Beat Calendário Perpétuo bate a uma frequência elevada, em sintonia perfeita com um estilo de vida ativo, exibindo no mostrador as horas, os minutos, a data, o mês, o ciclo bissexto e a reserva de marcha. Verdadeira proeza técnica, essa peça única utiliza um sistema mecânico, em vias de patenteamento, que permite passar instantaneamente do modo Ativo de alta frequência (5Hz, 36.000 A/h) ao modo Repouso de baixa frequência (1,2Hz, 8 640 A/h). Os balanços dos modos Ativo e Repouso são impulsionados pelo mesmo barrilete: o meio mais eficaz de transmitir a energia e a única maneira de apresentar uma só indicação da reserva de marcha. Enquanto não utilizado, esse relógio fora do comum proporciona uma extensão sem precedentes da reserva de marcha (um mínimo de 65 dias).

A assinatura da excelência

Prêmios certamente não são um fim em si. No entanto, o reconhecimento de nossos pares concretiza o trabalho e o envolvimento dos Mestres Relojoeiros e Artesãos da Maison.  

Vacheron Constantin - Obras-primas e relógios icônicos - ORGANIZAR UMA VISITA À BOUTIQUE

ORGANIZAR UMA VISITA À BOUTIQUE

Seja para descobrir as nossas diversas coleções ou para obter orientações de nossos especialistas, nós respondemos a todas as suas perguntas.

Encontrar uma Boutique