VACHERON CONSTANTIN
E O PUNÇÃO DE GENEBRA

Certificação de qualidade por excelência
Uma garantia de origem, savoir-faire, durabilidade e precisão...

VACHERON CONSTANTIN E O PUNÇÃO DE GENEBRA

OS SEGREDOS DO
PUNÇÃO DE GENEBRA

OS CRITÉRIOS DO
PUNÇÃO DE GENEBRA

CRITÉRIOS PARA
OS MATERIAIS

  • Os componentes polímeros não são autorizados.
  • Para os novos materiais, a comissão técnica do Punção de Genebra se reserva o direito de adaptar os critérios a qualquer momento em função das inovações tecnológicas neste domínio.

MOLDES E PROVISÕES

  • As peças de formas ou provisões devem ter ângulos polidos, flancos estirados, faces suavizadas ou verticais.

  • As cabeças dos parafusos devem ser polidas ou arqueadas, os contornos e as fendas angulados.

  • As cabeças dos parafusos convexos devem ser polidas ou arqueadas.

  • A coloração é aceita desde que esteja de acordo com o acabamento.

  • A extremidade inferior do parafuso deve ser polida, sem nenhum tipo
    de irregularidade.

  • As extremidades das cavilhas planas ou convexas devem ser polidas.

  • Todas as provisões que não aparecem no regulamento técnico devem responder às exigências, que serão determinadas na homologação
    do calibre.

MOLAS E SALTADORES

  • As molas de arame não são admitidas.

  • A angulação das molas e dos saltadores é feita sobre a totalidade do contorno da peça, as zonas definidas como funcionais serão evitadas.

  • Toda operação sobre uma lâmina, igual ou inferior a 0.18 mm de espessura, que possa prejudicar a rigidez funcional, poderá ser derrogada.

  • Toda mola ou saltador deve ter um salto.

PLATINAS, CHAPAS OU PLACAS DE MÓDULOS ADICIONAIS E PONTES

As platinas, as chapas ou placas de módulos de mecanismos adicionais e as pontes devem ter:

  • Ângulos polidos.

  • Flancos estirados.

  • Cavidades peroladas ou acabadas de forma a eliminar todas as marcas de fabricação.

  • Apoios de pontes suaves.

  • Chanfraduras polidas nos furos e cavidades.

  • Molduras polidas nos furos de pedra.
  • A parte de cima das pontes deve ter acabamento no motivo
    côtes de Genève ou outra decoração que elimine as marcas de fabricação.

    ENGASTE DE PEDRAS

    • Todo movimento deve ser dotado de pedras de rubis com os furos polidos nos motivos dos acabamentos. Quanto às pontes, as pedras devem ser semibrilhantes e as molduras polidas. A pedra da roda
      de centro em platina não é exigida.

    • Os movimentos munidos de para-choques são aceitos.

    • Para o restante do movimento e da placa adicional, todas as pedras
      de qualidade ou todo outro tipo de rotação serão autorizados.

    ENGRENAGENS

    O acabamento das partes móveis

    - Devem ter ângulos na parte superior e inferior.
    - Para as rodas com espessura inferior ou igual a 0,15 mm, apenas
    um ângulo é permitido.
    - Devem ter molduras polidas.
    - Para as chapas de roda abaixo de 0,15 mm uma única moldura é admitida.
    - O depositante pode escolher a realização de molduras de chapa (orientação e forma) desde que seu aspecto seja polido.
    - Seus braços, eixos e bordas devem ser angulados.
    - As partes funcionais da haste e dos pivôs, incluindo a face, devem ser roladas.
    - As outras partes são polidas de forma a eliminar todas as marcas
    de fabricação.
    - As faces dos pinhões devem ter um acabamento que elimine todas
    as marcas de fabricação, sem arredondar as bordas e/ou arrebitar a rebarba. O polimento, a brocagem ou qualquer outro acabamento são aceitos, desde que não infrinjam o exposto acima.
    - As asas dos pinhões devem ser polidas sem modificar a parte funcional
    da ogiva.

    As partes móveis, as rodas de transmissão e as engrenagens que não são
    as do acabamento

    - Devem ser finalizadas de forma a eliminar todas as marcas de usinagem.
    - Se o material utilizado permitir, os dentes devem ser polidos.
    - As placas de roda com braço serão finalizadas como as rodas
    de acabamento.
    - A cremalheira e a roda da coroa devem ter seus dentes angulados
    e polidos e ser decoradas de forma a apagar todas as marcas de fabricação.

    ESCAPAMENTO

      Para os movimentos cujo diâmetro total é superior a 18 mm
    • A espessura da roda de escape não deve ultrapassar 0,16 mm.
    • Seus repousos devem ser polidos.

    Para os movimentos cujo diâmetro total é inferior a 18 mm

    • A espessura da roda de escape não deve ultrapassar 0,13 mm.
    • Seus repousos devem ser polidos.

    A limitação do ângulo percorrido pela âncora deve ser feita contra dois suportes fixos, com exceção de linguetas ou de pinos.

    PITÕES, REGISTROS

    • A espiral pode ser fixada por uma placa corrediça com pitão de cabeça
      e de gargalo redondo.
    • O porta-pitão móvel é aceito desde que sua posição esteja bloqueada.
    • Os registros ajustados ou cortados são admitidos com um sistema de suporte, exceto para os calibres extraplanos, nos quais o sistema não
      é exigido.
    • Os sistemas reguladores, com balanço de raio de giro variável,
      são admitidos.

    SISTEMA DE
    REGULAGEM

    • Regulagem significa o assentamento do órgão regulador no movimento, a sua colocação em movimento e a sua regulagem.

    • Os trabalhos de assentamento da espiral (inserção de virolas, pitões, contadores...) podem ser feitos fora do Cantão de Genebra.

    • A colagem da espiral não é autorizada, mas é permitido soldá-la.

    OS CRITÉRIOS
    DAS PARTES EXTERNAS

    Para prolongar o trabalho de grande qualidade requerido e aplicado sobre
    os componentes do movimento, o Punção de Genebra estabelece exigências precisas de execução e de acabamentos no que concerne
    os elementos de ligação das partes externas (pontes, parafusos de pontes, círculos de fixação do movimento, balanças, extensões dos corretores, etc.).

    Este procedimento consolida a visão de um produto pensado e concebido em sua globalidade. A escolha dos acabamentos também segue objetivos funcionais.

    CERTIFICAÇÃO DA
    CABEÇA DO RELÓGIO

    Para responder às exigências dos clientes finais, o Punção de Genebra exige 100% de controle no que concerne às performances da "cabeça do relógio" (caixa com movimento fixado). Essa prova funcional permite certificar aquilo que cada manufatura garante ao cliente.

    Precisão

    As marcas devem submeter seus relógios a uma simulação que reproduza
    a vida padrão de um relógio ao longo de uma semana. Ao final de sete dias, a hora indicada não deve ultrapassar uma variação de um minuto sequer.

    Estanqueidade

    Um relógio anunciado como estanque deve suportar, no mínimo, a pressão definida pelo regulamento e a pressão anunciada pela marca.

    Reserva de marcha

    O relógio deve apresentar uma reserva de marcha no mínimo igual à anunciada pelo fabricante.

    Testes de funções

    Controles garantem o bom funcionamento de todas as funções do relógio.

    O MOVIMENTO

    Todas as peças do calibre e os mecanismos adicionais
    OS CRITÉRIOS DO  
PUNÇÃO DE GENEBRA
    MATERIAIS
    OS CRITÉRIOS DO  
PUNÇÃO DE GENEBRA
    MOLDES E PROVISÕES
    OS CRITÉRIOS DO  
PUNÇÃO DE GENEBRA
    MOLAS E
    SALTADORES
    OS CRITÉRIOS DO  
PUNÇÃO DE GENEBRA
    PLATINAS, CHAPAS, PLACAS E PONTES
    OS CRITÉRIOS DO  
PUNÇÃO DE GENEBRA
    ENGASTE DE PEDRAS
    OS CRITÉRIOS DO  
PUNÇÃO DE GENEBRA
    ENGRENAGENS
    OS CRITÉRIOS DO  
PUNÇÃO DE GENEBRA
    ESCAPAMENTO
    OS CRITÉRIOS DO  
PUNÇÃO DE GENEBRA
    PITÕES, REGISTROS
    OS CRITÉRIOS DO  
PUNÇÃO DE GENEBRA
    SISTEMA DE REGULAGEM

    PARTES EXTERNAS

    Os elementos de ligação
    entre as partes externas
    e o movimento
    OS CRITÉRIOS DO  
PUNÇÃO DE GENEBRA
    OS CRITÉRIOS
    DAS PARTES EXTERNAS

    A CABEÇA
    DO RELÓGIO

    O controle do relógio pronto
    OS CRITÉRIOS DO  
PUNÇÃO DE GENEBRA
    CERTIFICAÇÃO DA CABEÇA DO RELÓGIO

    O ATELIÊ PUNÇÃO DE GENEBRA
    NA VACHERON CONSTANTIN

    DESCOBRIR OS MODELOS PUNÇÃO DE GENEBRA