Tesouros da Vacheron Constantin - Tradição relojoeira desde 1755

junho 2011

Tesouros da Vacheron Constantin - Tradição relojoeira desde 1755

 

O Museu Nacional de Singapura, em parceria com a Vacheron Constantin, convida para a exposição “Tesouros da Vacheron Constantin – Tradição relojoeira desde 1755” a ser realizada de 24 de junho a 14 de agosto de 2011. O evento reúne as histórias da Manufatura e da alta relojoaria de Genebra. Esta é a primeira grande exposição pública do patrimônio da mais antiga manufatura relojoeira do mundo, sem interrupção de atividade, e põe em cena mais de 250 anos de criatividade e “savoir-faire”.

Concebida como uma viagem de iniciação sobre o espírito dos artesãos “cabinotiers” do século XVIII, a exposição tem por objetivo mostrar a evolução da medição do tempo, dos ofícios artesanais da relojoaria, e a influência neles exercidas por diferentes correntes artísticas, uma trilogia que é parte integrante da história da Vacheron Constantin desde sua fundação. O visitante viaja por um passado glorioso ao sabor das 180 peças de exceção que fazem parte da coleção da Manufatura genebrina e são expostas em uma área de 600 m2. Dos arquivos pessoais de Jean-Marc Vacheron e François Constantin às ferramentas das oficinas, das bancadas dos artesãos “cabinotiers” genebrinos às máquinas inventadas pela Manufatura, a exposição ilustra um universo técnico e estético de riqueza extraordinária.

As peças expostas dão destaque especial aos “Métiers d’Art”, os ofícios exercidos por artesãos especializados, sem os quais a alta relojoaria genebrina não brilharia com o mesmo esplendor. A peça magistral da exposição é um perfeito exemplo deste trabalho: o relógio de bolso “Les Bergers d’Arcadie”, criado em 1923, simboliza a alquimia obtida graças à competência técnica e à cultura relojoeira, acumuladas durante longos anos de busca constante da excelência. Por ocasião da cerimônia de inauguração, alguns dos talentosos artesãos da Manufatura estarão presentes para compartilhar um pouco de sua arte com os visitantes. Gravador, cravador, guilhochador, esmaltador e relojoeiro são exemplos vivos de uma tradição transmitida de geração em geração, durante séculos, e que ainda hoje se constrói, privilegiando a criatividade e a inovação.

“Esta primeira grande exposição ‘Tesouros da Vacheron Constantin - Tradição relojoeira desde 1755’ - é
o início de uma longa viagem cultural cujo objetivo é dar a conhecer a riqueza de nossa história, a qual se confunde com a própria história da alta relojoaria. Nela é retratada uma das mais belas demonstrações de união de esforços, em que cada relógio é o fruto da associação de talentos e do encontro de homens e mulheres que conjugam suas competências em prol de uma mesma criação. Temos a grande responsabilidade de transmitir este patrimônio humano e legado inestimável para as futuras gerações.”, Juan Carlos Torres, CEO da Vacheron Constantin.

“Ao sabor desta viagem, tomamos consciência de que a longa história da relojoaria traz em seu bojo não somente progressos e inovações técnicas, mas também reflete as evoluções ocorridas ao longo do tempo na história universal, nas tendências das diferentes épocas e no modo de vida do ser humano”, Chor Linn, diretor do Museu Nacional de Cingapura.

Para mais informações: www.vacheron-constantin.com/treasures-of-vacheron-constantin-singapore  Visite o site do Museu Nacional de Cingapura Fotos: -  Cartaz da exposição “Tesouros da Vacheron Constantin – Tradição relojoeira desde 1755” - Museu Nacional de Cingapura

 

Affiche de l’Exposition « Treasures of Vacheron Constantin – A legacy of watchmaking since 1755 »

Affiche de l’Exposition « Treasures of Vacheron Constantin – A legacy of watchmaking since 1755 »